Notícias

Voltar

 

Notícia publicada no dia: 25/04/2016

Imposto de Renda

 

 

 

Fazer a declaração de imposto de renda pelo modelo completo pode resultar em pagamento de menos imposto ou recebimento de um valor maior de restituição. O modelo completo, entretanto, só costuma compensar para quem conseguir juntar recibos de despesas que podem ser abatidas e cuja soma seja maior que 20% do rendimento anual, limitado a R$ 16.754,34.

 
IMPOSTO DE RENDA

O programa da declaração do IR 2016 informa ao contribuinte automaticamente a melhor escolha. Mas o modelo completo costuma ser sempre mais vantajoso para quem tem gastos expressivos com educação e despesas médicas.

"A separação dos documentos e informações que serão utilizadas para o preenchimento da DIRPF é o principal ponto a ser observado", orienta Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Consultoria Contábil.

Vale lembrar que podem ser deduzidas apenas as despesas de titulares e dependentes com instrução, saúde, previdência, pensão alimentícia e empregado doméstico. E todos os valores declarados precisam ter recibos que comprovem os pagamentos. 

"Ao optar pelo modelo completo, é essencial que o contribuinte tenha e guarde todos os comprovantes das despesas dedutíveis, pois a Receita Federal pode chamá-lo para conferir esses comprovantes", alerta Ana Cláudia Utumi, sócia na área de Tributário do escritório TozziniFreire Advogados.

Confira abaixo a lista de comprovantes a serem reunidos para o preenchimento da declaração pelo modelo completo:

1 - RENDAS
a.  Informes de rendimentos de Instituições Financeiras, inclusive corretora de valores;
b.  Informes de rendimentos de Salários, Pró Labore, Distribuição de Lucros, Aposentadoria, Pensão, etc;
c.  Informes de rendimentos de Aluguéis de bens móveis e imóveis recebidos de jurídicas;
d. Informações e documentos de outras rendas recebidas como rendimento de Pensão Alimentícia, Doações e Heranças
e. Resumo mensal do Livro caixa com memória de cálculo do Carnê Leão
f.  DARFs de Carnê Leão

2 - BENS E DIREITOS
a.  Documentos comprobatórios de compra e venda de bens e direitos;

3 - DÍVIDAS E ONUS
a. Informações e documentos de dívida e ônus contraídas e/ou pagas no período;

4 - RENDA VARIÁVEL
a. Controle de Compra e venda de ações, inclusive com a apuração mensal de imposto
b. DARFs de Renda Variável;
(Indispensável para o cálculo do Imposto de Renda sobre Renda Variável)

5 - INFORMAÇÕES GERAIS
a. Dados da Conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado:
b. Nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes e data de nascimento;
c. Endereço atualizado;
d. Cópia da última Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (completa) entregue;
e.  Atividade profissional exercida atualmente

6 - PAGAMENTOS E DOAÇÕES EFETUADAS
a.  Recibos de pagamentos ou informe de rendimento de plano ou seguro saúde (com CNPJ da empresa emissora e a indicação do paciente)
b.  Despesas médicas e odontológicas em geral (com CNPJ da empresa emissora ou CPF do profissional, com indicação do paciente);
c.  Comprovantes de Despesas com educação (com CNPJ da empresa emissora com a indicação do aluno);
d.  Comprovante de pagamento de Previdência Social e Privada (com CNPJ da empresa):
e. Recibos de doações efetuadas;
f.  GPS (ano todo) e cópia da carteira profissional de empregado doméstico;
g.  Comprovantes oficiais de pagamento a Candidato político ou Partido Politico
(Quando se tratar de declaração conjunta com dependentes também é necessário a apresentação da relação acima)