Notícias

Voltar

 

Notícia publicada no dia: 27/08/2015

Setor de franquias tem crescimento de 11,2% no semestre

O estudo divulgado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) indica que o faturamento do setor de franquias cresceu 11,2% no primeiro semestre em comparação ao mesmo período do ano passado, totalizando R$ 63,8 bilhões. Já no 2º trimestre, o crescimento foi de 13,1%, com receita de R$ 32,5 bilhões.

A pesquisa aponta crescimento de 3,1% na abertura de lojas e fechamento de 1,2% das unidades no segundo trimestre. A variação representou um incremento de 1,9% no total de unidades de franquias em operação no país no período, número que atingiu 131.269 pontos de venda. O ritmo de expansão foi ligeiramente menor ante o 1º trimestre, quando chegou a 2,5%.

Segmentos
Todos os 11 segmentos ampliaram seu faturamento, demonstrando a recuperação do menor desempenho registrado por alguns em 2014, especialmente no período da Copa do Mundo.

Entre os que mais cresceram no 1º semestre em relação ao mesmo período do ano passado, o segmento de esporte, saúde, beleza e lazer alcançou faturamento 24% maior, saltando de R$ 9,3 bilhões para R$ 11,5 bilhões no período.

 

A seguir, hotelaria e turismo registrou crescimento de 15% no faturamento, que passou de R$ 4,2 bilhões para R$ 4,9 bilhões, impulsionado pelo turismo de negócios.

Individualmente o mais expressivo segmento do franchising, o de alimentação, teve expansão da receita no período em 12%, saltando de R$ 11,4 bilhões para R$ 12,7 bilhões.

Outro segmento que manteve bom desempenho foi comunicação, informática e eletrônicos, registrando também 12% de crescimento nesse período, cujo faturamento subiu de R$ 1,7 bilhões para R$ 2 bilhões.

Regiões
A região Sudeste respondeu por 59% da receita da indústria do franchising no primeiro semestre, seguida das regiões Sul (16%), Nordeste (14%), Centro-Oeste (8%) e Norte (4%).
Educação e treinamento, com 70% de participação concentrados no Sudeste, tem sua receita distribuída nas demais regiões do seguinte modo: 11% no Sul, 9% no Centro-Oeste, 7% na Região Nordeste e 3% ao Norte.

Já no segmento comunicação, informática e eletrônicos, a pesquisa indica que o Nordeste, com 36% do faturamento, está mais próximo do Sudeste, com 47%, enquanto o Sul tem 12%, o Centro-Oeste 5% e o Norte 1%.

De acordo com a presidente da ABF, Cristina Franco, os cuidados já tomados pelos franqueadores antes mesmo do agravamento da retração econômica e a relação colaborativa entre franqueador e franqueado beneficiam a indústria do franchising. “O franqueador tem feito nos últimos 12 meses sua lição de casa: reduziu custos, otimizou processos, motivou ainda mais a força de vendas, renegociou com fornecedores, alterou o mix de produtos, além de manter as práticas do bom franchising, como o treinamento e a capacitação dos colaboradores”, disse.