Notícias

Voltar

 

Notícia publicada no dia: 22/01/2015

Seguro-desemprego está 'ultrapassado' no país, diz Levy ao 'FT'

 

 

 

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta sexta-feira (23), que o atual modelo de auxílio-desemprego do país está "completamente ultrapassado", durante entrevista ao jornal "Financial Times", concedida no Forum Economico Mundial, em Davos, na Suíça.

Em inglês, Levy utilizou a expressão "out-of-date" (em tradução livre, obsoleto ou ultrapassado) para referir-se ao sistema de benefícios previdenciários, citando a necessidade de "livrar-se de subsídios e ajustar os preços" como providências imediatas de sua política fiscal.

No fim do ano passado, o acesso a auxílios previdenciários como pensão por morte e seguro-desemprego ficou mais rigoroso após a edição de medidas provisórias. A medida pode ser considerada uma “minirreforma previdenciária”, parte do pacote do "período de austeridade" anunciado pelo ministro.

Levy também reconheceu que o período de ajuste pode impactar no crescimento econômico. "Acredito que a economia parada não pode ser descartada como uma possibilidade embora o PIB no Brasil seja resiliente", afirmou à publicação.

Ainda sobre a política de cortes e ajuste fiscal, o ministro acrescentou que "assim que sua equipe colocar a casa em ordem, a reação será positiva", referindo-se à necessidade de estimular a demanda e resgatar a confiança do mercado. Ele reconheceu, contudo, que as medidas anticíclicas tem suas limitações.

O ministro disse também que acredita que suas reformas estão em linha com as tendências internacionais, em particular as políticas ára estimular a economia nos Estados Unidos e na China. "O mundo está mudando e é hora de o Brasil mudar", afirmou.

Sobre a presidente
Levy afirmou, ainda, que considera a presidente Dilma Rousseff uma pessoa "muito decidida e que entende suas escolhas". O ministro disse ao jornal britânico que não está sozinho no governo, argumentando que outras reformas estão sendo feitas em outros ministérios do segundo mandato da petista, como de Energia e Agricultura.